Nossa história

2017

Em 2017, foram implantados 20km de redes e construídos 10 boosters, para garantir o abastecimento de 3 mil novas ligações de água distribuídas por 35 bairros da cidade. Também foram implantadas 3km de redes coletoras de esgotos.

Nos distritos da Posse e Nogueira foram construídas duas elevatórias de esgoto e as redes coletoras passaram por melhorias e adequações.

Em junho, Águas do Imperador conquistou o Prêmio Firjan de Ação Ambiental 2017, com o projeto Saneamento Sustentável: A Utilização de Biossistemas e Educação Ambiental em Comunidades de Baixa Renda.

A implantação da adutora da Estrada das Arcas, fundamental para o abastecimento de água de toda a região de Itaipava, foi iniciada em novembro deste ano.

Neste ano, foram inaugurados os Biodigestores do Caxambu e do Morro do Gavião.

A concessionária implantou 34km de redes de abastecimento, 4km de redes coletoras, e 13 boosters, para atender mais 4 mil ligações, distribuídas em 43 bairros.

Também foi construído um reservatório no Parque Municipal de Itaipava, com capacidade de armazenamento de 500 mil litros.

O projeto da ETA Araras foi iniciado este ano, assim como foi obtida a outorga de captação.

Águas do Imperador implantou 33km de redes de abastecimento de água e 5Km de redes coletoras de esgoto, em 39 bairros, agregando 6 mil novas ligações ao sistema. Para atender às novas ligações, foram construídos 10 boosters.

O reservatório da ETA Mosela, com capacidade para 1 milhão de litros, foi totalmente reformado.

O sistema de tratamento das ETAs Montevideo e Mosela foram inteiramente automatizados. Também foram iniciadas as obras de mais dois Biodigestores: o do Caxambu e Morro do Gavião.

Os programas sociais da concessionária foram ampliados.

Neste ano, foram construídas duas novas unidades de tratamento de esgotos – a ETE Corrêas, que trata 1,2 milhão de litros/dia e beneficia 15 mil moradores de Corrêas e entorno, e o Biodigestor do Quarteirão Brasileiro, que trata 160 mil litros/dia e beneficia 2 mil moradores da localidade.

Foram implantados 51,5km de redes: 32km de redes de abastecimento em 25 bairros e 10,5km de redes coletoras de esgotos em 21 bairros. Além disso, foram substituídos 4,5km de redes de água e outros 4,5km de redes de esgoto.

O projeto de modelagem hidráulica foi expandido para os sistemas de abastecimento dos distritos, tornando possível, por meio de software específico, obter informações em tempo real.

A concessionária foi finalista do Prêmio ANA 2014, na categoria Empresas, com o projeto ‘Saneamento Sustentável – A utilização de Biossistemas e Educação Ambiental em Comunidade de Baixa Renda’.

Foi inaugurada a Central de Atendimento em Itaipava.

A exemplo dos outros anos, Águas do Imperador manteve o ritmo e o compromisso de realizar novas obras para melhoria do saneamento em Petrópolis em 2013. Foram implantados mais de 21km de redes de abastecimento e 4,5km de redes coletoras esgoto. Além disso, houve a substituição de 4km de redes de água e 500 metros de redes de esgoto.

O Biodigestor de Vila Rica, o sétimo da concessionária, foi inaugurado em julho. A unidade trata 130 mil litros de esgotos por dia e beneficia 2 mil moradores da localidade. O biogás gerado pelo biodigestor é disponibilizado para a creche Santa Edwiges, que fica ao lado da unidade.

A concessionária também realizou a maior parte da obra de interligação dos seis principais sistemas de abastecimento (Centro, Mosela, Bonfim, Itaipava, Pedro do Rio e Posse), que permite o deslocamento de água produzida em qualquer um dos sistemas para onde houver demanda imediata.

Tanto investimento elevou Petrópolis à condição de terceira cidade do Estado do Rio em tratamento de esgoto e a 27ª do Brasil, de acordo com o ranking do Instituto Trata Brasil, com 80% dos esgotos urbanos tratados, em um total de 52,5 milhões de esgotos tratados por dia. Em relação ao abastecimento, 91,3% dos petropolitanos já são atendidos com água tratada, totalizando 61,8 milhões de litros de água por dia.

Foram realizadas importantes obras de ampliação do sistema de esgoto em Petrópolis neste ano. Em abril, foi inaugurada a ETE Posse, que trata 900 mil litros de esgoto por dia, beneficiando 7,5 mil moradores da Posse; em julho, entrou em operação a ETE Piabanha – uma estação diferenciada, com projeto bioarquitetônico, soluções sustentáveis e alta tecnologia – que trata 11 milhões de litros de esgotos por dia, gerando benefícios para 30 mil moradores da Mosela e do Bingen. A concessionária também inaugurou o Biodigestor de Córrego Grande, na Posse, para beneficiar 1500 pessoas. Com essas novas unidades, o percentual de esgotos urbanos tratados em Petrópolis passou de 64% para 77%, um dos maiores índices do Brasil.

A concessionária também implantou e substituiu 16,5km de redes de abastecimento e 8 km de redes de esgotos.

A nova loja comercial de Águas do Imperador, um espaço amplo, moderno e de excelente localização, foi inaugurada para melhor receber os clientes.

Foram implantados mais de 22km de redes de abastecimento de água, dos quais 16 km foram de expansão, beneficiando cerca de 16 mil habitantes da região. Os outros 6 km foram redes para substituição de outras obsoletas. Também foi realizada a interligação das redes de água de Itaipava a Pedro do Rio. Águas do Imperador também expandiu 6 km de redes coletoras de esgoto, que beneficiaram 14 mil moradores da região, além de substituir 1,3km de redes. As ETAs Taquaril, Itaipava e Mosela passaram por melhorias, aumentando a capacidade de produção e qualificando o processo dessas estações de tratamento de água.

O Centro de Controle Operacional (CCO) teve triplicada sua capacidade de monitoramento e controle dos sistemas de produção/distribuição de água e elevatórias de esgoto. Os pontos de observação do sistema passaram de 15 para 48, alcançando também os distritos.

A implantação de aproximadamente 13km de rede distribuidora de água, a substituição de mais de 4,5km obsoletos e a implantação de 13 novos boosters foram grandes realizações no sistema de abastecimento de água. Foram implantados 7Km de interceptores de esgoto na Bacia do Rio Quitandinha, além de obras de expansão ou substituição de redes em diversos bairros do município. Todo o sistema do centro histórico, além da ETE Palatinato, ETE Quitandinha e alguns biodigestores passaram por manutenções preventivas. Em outubro, foi iniciado a construção da ETE Piabanha.

A concessionária inaugurou a ETA Secretário e reformou a ETA Pedro do Rio. A ETE Unimed foi construída, a ETE Granja Brasil foi ampliada. Foram criados os projetos Viva Água, Serviço Itinerante, que vai às comunidades para resolver questões dos moradores, e Clientes de Valor, com objetivo de recuperar usuários cortados. Foram implantados e substituídos 17,5km de redes de água na estrada da Saudade, Castelânea, Morin, Quarteirão Ingelhein, Valparaíso, Castelo São Manoel, Capela, Siméria, Quitandinha, Itamarati, Coronel Veiga; mais 6km em Corrêas, Pedro do Rio, Itaipava, Centro, Alto da Serra, Valparaíso, Posse, Secretário e Quitandinha. Também foram implantados 3,5km de redes de esgoto em Itaipava, Roseiral, Mosela, Vila Constância, Centro, Floresta, São Sebastião, Nogueira, Bingen, Alto da Serra, Caxambu, Itamarati, Bela vista, castelo São Manoel, Pedro do Rio e Quitandinha.

O biodigestor de Vila Ipanema foi inaugurado neste ano. Foram implantados 27km de redes de abastecimento de água em Águas Lindas, Atílio Maroti, Quarteirão Brasileiro, Siméria, Sertão do Carangola, Morro Florido, Morro do Neylor, Morro do Alemão, Retiro, Bingen, Samambaia, Pedro do Rio, Quitandinha, Fazenda Inglesa, Duarte da Silveira e Capitão Paladini; e 2km de redes de esgotos em Vila Ipanema, Vila Constância, Sítio do Pica Pau, Morin, 24 de Maio, Itaipava, Duarte da Silveira, Centro, União e Indústria, Baitallard, Independência, Vital Brasil, Bingen, Taquara, Calembe, Ponte de Ferro, Sargento Boening.

A concessionária inaugurou a ETE Quitandinha, o biodigestor de Nogueira e o reservatório da ETA Bonfim, com capacidade para um milhão de litros. Também foram implantados 9km de redes de abastecimento de água em Cascatinha, Centro, São Sebastião, Comunidade vitória, Quarteirão Brasileiro, Morin, Alto Independência, Bingen, Mosela, Fazenda Inglesa, Barra mansa, Bonfim, Alto da serra, Samambaia, Pedro do Rio, Itaipava, João Xavier, Barra Mansa, Correas, Madame Machado, e Posse; e 2km de esgotos no Centro, Nogueira, Valparaíso, Mosela, Bairro Castrioto, Roseiral, Fazenda Inglesa, Comunidade Vitória, Duarte da Silveira, Carangola, Estrada União e Indústria e Castelo São Manoel. A concessionária participou, com a comunidade, escolas e Secretaria do Meio Ambiente, do Segundo Reflorestamento das encostas do Rio Taquaril.

Águas do Imperador começou as obras da ETE Quitandinha e as interligações de todo o Centro Histórico à ETE Palatinato. Foram construídas as Elevatória de Esgotos da Praça da Liberdade e da Rua Padre Siqueira e inaugurado o Biodigestor da Siméria. Foram implantados 22km de redes de abastecimento de água em Itaipava, Pedro do Rio, Secretário, Independência, Taquara, Sítio da Ponte, Henrique Raffard, Olga Castrioto, Pedras Bancas, Barra Mansa, Lajinha e Centro. A concessionária também implantou 2Km de redes de esgotos nessas mesmas localidades. Neste ano, foi assinado o convênio entre Águas do Imperador, Prefeitura de Petrópolis, Inea e Ceivap, para construção de dez Biodigestores. Águas do Imperador recebeu o primeiro lugar na categoria Empresa Privada, do 5º Prêmio Furnas OURO AZUL. O processo de reflorestamento das encostas da Maria Comprida e Capim Roxo foi iniciado neste ano.

A ETA Itaipava foi ampliada, passando sua produção de 15l/s para 50 l/s e foram construídas a ETA Pedro do Rio e a ETE Rodoviária. A concessionária implantou 22,5km de redes de abastecimento de água no Quitandinha, Independência, União e Indústria, Morro da Lenha, Retiro, Samambaia, Posse, Roseiral, Nogueira, Estrada das Arcas, Henrique Raffard, São Sebastião, Serra Morena, Sítio da Ponte, e Vale do Barã. Também foram implantados 2km de redes de esgoto em Nogueira, Correas, Centro, Quitandinha, Retiro, Secretário, Barão do Rio Branco, União e Indústria, Vila Constância, Madame Machado Bonfim e Valparaíso. Neste ano, Águas do Imperador participou da 1ª Bienal do Livro – Petrópolis. O Projeto Classe Anexa, que visava capacitar os funcionários, teve início neste ano.

As obras de coleta do esgoto do Centro Histórico, que passa a ser tratado na ETE Palatinato, foram iniciadas. A concessionária também construiu a Elevatória do Centro Histórico e inaugurou o biodigestor do Bonfim. Águas do Imperador implantou 20km de redes de abastecimento de água no Alto Siméria, Centro, Morin, Quitandinha, Capitão Paladini, Calembe, Coronel Veiga, Estrada da Saudade, Parque São Vicente, Granja Cláudia, Barra Mansa, Valparaíso, Madame Machado, Boa Vista, Vital Brasil, Olga Castrioto, BR 040, Ponte Branca, São Sebastião, Nogueira e Bingen; e 5km de redes de esgoto no Centro, Sertão do Carangola, Granja Cláudia, Granja Brasil, Bonfim, Pedras Brancas, Morin, Samambaia, Bairro Mauá e Quitandinha. Neste ano, foi lançado o Selo de Qualidade da Água.

A implantação da adutora Mosela / Valparaíso foi concluída. Neste ano, foi inaugurado o primeiro biodigestor, no Alto Independência. Foram implantados 12km de redes de abastecimento de água na Siméria, Vila Ipanema, Valparaíso, Mosela, Bairro Mauá, Bataillard, Jardim Salvador, Retiro, Bingen, Correas e Centro; e 7,5km de redes de esgotos no Centro, Floresta, Quitandinha, Estrada da Saudade e Alto da Serra.

Águas do Imperador começou construir a Adutora Mosela / Valparaíso, as barragens do Poço dos Ferreira e Mata Porcos, em Correas, e inaugurou a ETA Bonfim e as ETEs Granja Brasil, Taquara e Valparaíso. Foram implantados 21km de redes de abastecimento de água no Valparaíso, Retiro, Caxambu, Mosela, Parque São Vicente, Quitandinha, Morin, Centro, Pedro do Rio, Taquara, Saldanha Marinho, Roseiral, Centro e nos distritos. Também foram implantados 2km de redes de esgoto no Caxambu, Retiro, Independência, Taquara, Siméria, Morin, Estrada da Saudade e Granja Brasil. O programa de Educação Ambiental foi estendido à ETE Palatinato. Neste ano foi criado o prêmio “O Tratamento do Esgoto e a Conservação da Natureza”.

A barragem e a elevatória do Rio da Cidade, que amplia a produção da ETA Mosela, foi concluída. A concessionária também iniciou a construção da adutora do Poço dos Ferreira, para aumentar a produção nos distritos. Foram implantados 11km de redes de abastecimento de água nos bairros Bingen, Duarte da Silveira, Quitandinha, Valparaíso, Mosela, Vila Ipanema e Centro; e 2,5km de redes de esgoto nos distritos Morin, Quitandinha, Alto da Serra, Vila Felipe, Bataillard e Centro. O Laboratório de Águas do Imperador passou o único da região Serrana credenciado pelo Inea para realizar 27 tipos de análises.

Águas do Imperador inaugurou as ETAs Taquaril e Mosela e a ETE Palatinato. O Reservatório do Moinho Preto foi concluído e as obras da barragem do Rio da Cidade foram iniciadas. A concessionária implantou 37km de redes de abastecimento de água nos Distritos e nos bairros Estrada da Saudade, Valparaíso, Duarte da Silveira, Cascatinha, Mosela, Floresta e Centro; e 10 km de redes de esgoto no Centro, Quitandinha e Morin. Foi lançado o Prêmio “O Papel da Água”, para alunos que participaram do Programa de Educação Ambiental da concessionária.

A concessionária construiu a Elevatória da Ponte de Ferro e concluiu a adutora Vargem Grande / Mosela. Foram iniciadas as obras de recuperação do reservatório do Moinho Preto, com capacidade para 2 milhões de litros, as obras de captação e implantação da adutora do rio Taquaril, e as obras da Estação de Tratamento de Água do Taquaril. Começa a ser construída a Estação de Tratamento de Esgotos do Palatinato. Em março de 1999, teve início o Programa de Educação Ambiental, em parceria com a Secretaria de Educação. No mesmo ano, foi implantada a leitura simultânea de hidrômetros.

Águas do Imperador assumiu, em 1 de janeiro de 1998, os serviços de saneamento em Petrópolis. O primeiro passo foi aumentar a captação nos rios Caxambu Grande e Caxambu Pequeno, fazendo a produção passar de 300 para 600 litros por segundo. Foi iniciada a implantação de redes para expansão do abastecimento e a substituição de redes obsoletas. Foi construída a ETA Montevideo, e cerca de 90 mil habitantes passaram a receber água tratada. A ETA Itaipava, que só fazia cloração da água, foi adequada para a realização do tratamento total. Foram iniciados também o recadastramento e hidrometração, além do atendimento personalizado aos clientes.