Águas de Jahu inicia as obras de ETE e despoluição dos córregos de Potunduva

 

_DSC0197(4) (1)Águas de Jahu inicia, na próxima segunda-feira (05/02), as obras de  construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) em Potunduva e de implantação de coletores tronco de esgoto às margens dos córregos do distrito. Estas obras serão responsáveis pela despoluição total da bacia hidrográfica do distrito, com custo total estimado em R$ 10 milhões e previsão de finalização em 2019. O anúncio das obras foi feito em entrevista coletiva à imprensa, nesta terça-feira (30/01), na Prefeitura de Jaú, pelo prefeito Rafael Agostini.

_DSC0202(4)Participaram ainda do encontro, vice-prefeito Sigefredo Griso, o presidente da Câmara Municipal, Lucas de Barros Flores, o presidente da Agência Reguladora (Saemja), Jorge Alcalde, o superintendente de Águas de Jahu, Ivan Mininel, o gerente operacional Philippe Araújo e o engenheiro Gilberto Garcia, ambos da concessionária, secretários municipais e vereadores.

O prefeito frisou a importância de ter realizado, em seu primeiro mandato, a concessão dos serviços de saneamento, apontando que, hoje, a cidade não enfrenta problema de falta de água e está caminhando para a universalização do tratamento de esgoto.

“Os modelos de concessão são capazes de proporcionar uma eficiência maior dos serviços e uma rapidez maior para se resolver problemas”, comentou Agostini.

_DSC0215(4)Conforme o superintendente de Águas de Jahu,  a meta de Águas de Jahu é a universalização do saneamento básico na cidade até o final do ano de 2019 e, para isso, serão implantadas mais duas Estações de Tratamento de Esgoto em Pouso Alegre de Baixo e na Vila Ribeiro, bairros afastados da área central da cidade. Ele ressalta que, com essas obras, a cidade de Jaú, a partir de 2020, estará na elite dos poucos municípios brasileiros com a universalização do sistema de coleta, afastamento e tratamento do esgoto, o que já acontece com a distribuição de água tratada, que atualmente é 100% disponibilizada à população.

 

Córregos despoluídos

BP-PJ-15-039-R01-3D (rev01)-Temp0028 (1)As obras dos coletores tronco serão realizadas nas margens dos córregos das Araras e Água Branca. Serão implantados cerca de 3,5 quilômetros de rede coletora e mais três estações elevatórias, que transportarão o esgoto para a ETE Potunduva. Hoje, os imóveis do distrito  contam apenas com a coleta e o afastamento do esgoto, que é lançado nos dois cursos d‘água. Com as obras, o esgoto será coletado e direcionado para a ETE, onde será feito o tratamento, despoluindo, assim, o Água Branca e o Araras. A previsão é de que as obras sejam concluídas em 14 meses e o valor a ser investido de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

 

ETE Potunduva

A ETE Potunduva deve ter suas obras concluídas em abril de 2019, com custo aproximado de R$ 7,5 milhões. A estação terá capacidade média de tratar 25 litros por segundo, atendendo com folga a população atual do distrito. A estação funcionará com processos físico-químicos e biológicos, proporcionando a qualidade de lançamento necessária ao efluente tratado, atendendo aos padrões e exigências legais no âmbito federal e regional (Resolução Conama 430 de maio de 2011 e o Decreto Nº 8.468 de 1976 do Estado de São Paulo).

 

100% de esgoto tratado

Atualmente, Jaú é contemplada com 100% de coleta e afastamento de esgoto, sendo 94% tratados. Com a implantação da ETE Potunduva e dos coletores tronco nos córregos do distrito, o município atingirá a marca de 98,8% de esgoto tratado.  Caminhando para a universalização do tratamento de esgoto de Jaú, a concessionária deve, ainda em 2018, após a emissão da licença de instalação pela Cetesb (processo já em andamento), implantar a ETE Pouso Alegre de Baixo, atingindo a marca de 99,8% de esgoto tratado. Com isso, restará apenas o tratamento do esgoto da Vila Ribeiro, estando prevista a implantação de uma ETE no local em 2019, totalizando então 100% de esgoto coletado e tratado no município.

Mininel enfatiza que poucos municípios brasileiros contam com 100% de distribuição de água tratada e 100% de esgoto coletado e tratado e, a partir de 2020, Jaú fará parte dessa elite.

“Águas de Jahu, assim como todo o Grupo Águas do Brasil, tem a satisfação de estar fazendo parte diretamente desse marco histórico e desse grande avanço de Jaú. Sabemos de nossa responsabilidade de continuar prestando bons serviços para os jauenses, acompanhando o crescimento da cidade, ampliando os sistemas de água e esgoto sempre que necessário. Desde que iniciamos nossas atividades em Jaú, deixamos claro que nosso maior compromisso era e sempre será com a população jauense”, afirmou Mininel.

Para o superintendente da Águas de Jahu, o saneamento contribui com diversas áreas da cidade.

“O saneamento é muito importante para o desenvolvimento do município, como a saúde, no sentido preventivo de doenças, e meio ambiente, mas também no seu desenvolvimento econômico, pois, contando com infraestrutura básica instalada e funcionando adequadamente, ela certamente tem condições de atrair mais investimentos empresarias. O que, consequentemente, proporciona aos jauenses melhor qualidade de vida”, concluiu Mininel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *