Nossa história

2017

Águas de Niterói iniciou, no dia 31 de julho,  a obra de Revitalização do Canal do Campo de São Bento.

Neste ano, a concessionária, em parceria com a Prefeitura de Niterói, iniciou, no dia 27 de setembro, o lançamento da obra da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Sapê. Com previsão de conclusão para o fim de 2018, a unidade será a nona da cidade e terá capacidade para tratar 63 litros por segundo, atendendo cerca de 30 mil pessoas dos bairros do Sapê, Ititioca, Santa Bárbara e Caramujo.

A concessionária também inaugurou, no dia 6 de outubro, as obras de revitalização do parque das Águas Eduardo Travassos, localizado no alto do Morro da Detenção, no Centro da cidade.

A concessionária inaugurou, no dia 3 de março, a nova adutora da Rua Dr. March, no Barreto. Com investimento de R$ 1,7 milhão, o equipamento vai reforçar o abastecimento de água em bairros como Barreto, Engenhoca, Tenente Jardim e Fonseca. A adutora beneficiará mais de 30 mil habitantes da região com uma vazão de 150 litros de água por segundo.

Águas de Niterói implantou, no dia 7 de março, uma nova unidade de bombeamento, localizada na rua Fagundes Varela, com potência de 125 CV e capacidade de 250 litros por segundo. Essa unidade reforçará o abastecimento dos bairros do Ingá, São Domingos e Boa Viagem, além de possibilitar uma maior flexibilidade operacional, melhorando o abastecimento nos bairros da Zona Sul e Centro da cidade.

No dia 16 de março, Águas de Niterói deu início à operação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Maria Paula, oitava ETE da cidade e a primeira a integrar o sistema de esgotamento sanitário da região de Pendotiba.

Além disso, Águas de Niterói inaugurou, no dia 11 de abril, as obras de modernização da Estação de Tratamento de Jurujuba (ETE Jurujuba). Com um investimento total de R$ 1 milhão, a unidade, que já funcionava há 12 anos, passou a operar com novo componente tecnológico de fixação de bactérias e um filtro de disco por profundidade. Este último aparelho utiliza uma tecnologia israelense que garantirá maior retenção de resíduos sólidos, o que viabilizará a reutilização do efluente tratado para reúso.

No dia 25 de julho, a concessionária implantou uma caixa de areia no Canal de São Francisco, em Niterói. A iniciativa tem como objetivo reter a areia trazida pelo fluxo d’água, impedindo que esse material chegue à foz do canal. Além de evitar o assoreamento, a caixa previne que grande parte deste resíduo entre no sistema de coleta, causando obstrução dos tubos coletores e desgaste prematuro das bombas elevatórias.

Em outubro, a concessionária deu início à segunda fase da obra de modernização do Booster Correção I, unidade de bombeamento de água responsável pelo abastecimento da Zona Sul e Centro de Niterói.

Em 2015, foi inaugurada a implantação do sistema de esgotamento sanitário da Ilha da Conceição, com 8.914 metros de rede coletora e sete estações elevatórias de esgoto.

Em agosto, a concessionária deu início às obras de modernização de umas das principais unidades de bombeamento de água responsável pelo abastecimento da Zona Sul e Centro de Niterói – o Booster Correção I.

A concessionária inaugurou, no final deste ano, sua oitava Estação de Tratamento de Esgoto, a ETE Maria Paula, que será a primeira a integrar o sistema de esgotamento sanitário da região de Pendotiba. A estação está projetada para tratar 35 litros por segundo, podendo chegar a 60 l/s em horários de pico.

Em 2014, a concessionária ampliou o centro de reservação de Itaipu, com a construção de mais um reservatório de 3 milhões de litros, e inaugurou a obra de ampliação e modernização da capacidade da Estação de Tratamento de Esgoto do mesmo bairro. Esta iniciativa possibilitou um aumento de vazão de 80 para 160 litros por segundo. Parte do efluente resultante de todo o processo de tratamento será reutilizado como água de reuso no processo da ETE, além de rega de jardins, lavagem de vias e processos industriais.

No mesmo ano, foi iniciada a construção da ETE Maria Paula e a implantação do sistema de esgotamento sanitário da região de Pendotiba.

Na nova loja de atendimento de Itaipu, Águas de Niterói inaugurou uma moderna bancada de aferição de hidrômetros. Esta instalação é composta por duas linhas de verificação, que permitem a realização de estudos técnicos para a melhor gestão do parque de hidrômetros, o aperfeiçoamento dos processos de dimensionamento e seleção de tecnologias e, consequentemente, uma medição do consumo de água mais eficiente.

A vazão de água para a cidade aumentou de 1.800 litros por segundo para 2.100 l/s.

A concessionária implantou o reservatório de São Francisco e Pendotiba  – 6 milhões de litros, além da adutora Pendotiba – São Francisco. Também foi ampliado o centro de reservação de Pendotiba. A concessionária lançou o Programa de Despoluição da Enseada de Jurujuba.

Todo o trabalho que Águas de Niterói vem realizando na região rendeu conquistas importantes para a cidade que, em 2012, esteve entre as 20 melhores do país no quesito saneamento básico, em ranking divulgado pelo Instituto Trata Brasil.

Dois novos reservatórios de água foram construídos em 2010: o reservatório Correção e o Caramujo. Juntos ampliaram a capacidade do município em 9 milhões de litros de água. Também foram instaladas 40 novas unidades de bombeamento para o reforço do abastecimento em pontas de rede e áreas de cota elevada, principalmente para atender a Região Oceânica (RO).

Revitalizar as praias de Niterói, retirando o lixo flutuante presente na Baía de Guanabara, é o objetivo do Projeto Águas Limpas, lançado este ano por Águas de Niterói, em parceria com o Projeto Grael, o Ministério Público do Rio de Janeiro e a Companhia de Limpeza de Niterói (Clin).

A concessionária implantou também a modernização no Centro de Controle Operacional e iniciou o projeto do Plano Diretor do Saneamento, que envolve a construção de pequenas estações de tratamento de esgoto na Região de Pendotiba, com objetivo de universalizar o serviço.

Neste ano, com objetivo de absorver o crescimento contínuo do município, Águas de Niterói concluiu a ampliação da estação de tratamento de esgoto da área central de Niterói, a ETE Toque-Toque, disponibilizando uma capacidade de tratamento superior ao atual volume de esgoto produzido na cidade.

Também em 2009, uma pesquisa, encomendada pelo Governo Federal e o setor de saneamento, apontou que Niterói se destaca pelas melhorias na cobertura das redes de água e esgoto.

Águas de Niterói assinou convênio com a Secretaria Estadual de Ambiente para a realização do projeto de recuperação ambiental da bacia do Rio Macacu, principal fonte do sistema de abastecimento que fornece água para Niterói. O projeto, elaborado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, inclui o reflorestamento das margens do Rio Macacu e a criação de um Parque Fluvial.

Niterói foi um dos primeiros municípios brasileiros a atingir a meta de 90% do esgoto coletado e tratado, com a inauguração da ETE Barreto, em fevereiro de 2007. A unidade inaugurada beneficia 50 mil pessoas dos bairros Barreto e Engenhoca.

Em parceria com a Prefeitura Municipal, Águas de Niterói inaugurou o Parque Municipal Eduardo Travassos – o Parque das Águas – em 8 de junho de 2006. O parque é localizado no Morro da Detenção, no Centro da cidade, e possui o maior reservatório de água do Município.

A ETE Barreto começou a ser construída em janeiro de 2006 e trata o esgoto coletado dos bairros Barreto e Engenhoca.

Neste ano, uma iniciativa do Instituto Rumo Náutico / Projeto Grael, com o apoio da concessionária Águas de Niterói e da Companhia de Limpeza de Niterói (Clin), iniciou o Projeto Niterói Águas Limpas, promovendo o monitoramento do fluxo de lixo flutuante nas praias da cidade.

A Estação de Tratamento de Esgoto de Jurujuba iniciou suas atividades em setembro deste ano.

A Estação de Tratamento de Esgoto de Itaipu foi inaugurada em janeiro de 2004. Em maio, foi a vez de inaugurar a Estação de Tratamento de Esgoto de Toque-Toque, localizada no Centro da cidade.

A concessionária Águas de Niterói alcançou, em novembro de 2003, a importante marca dos 100% de cobertura em água tratada, em população e área, com a implantação do abastecimento nos bairros de Várzea das Moças e Rio do Ouro. Para isso, foi necessário o assentamento de mais de 30km de rede de distribuição, dois reservatórios e execução de 1.600 ligações domiciliares. Simultaneamente, a concessionária investiu na ampliação do Sistema de Esgoto Sanitário. Mesmo fora do contrato, a empresa concluiu as obras da Estação de Tratamento de Esgoto de Icaraí, inaugurada em agosto de 2003, essa foi uma importante contribuição para o processo de despoluição da Baía de Guanabara

O ano de 2002 foi marcado pela inauguração de duas estações de tratamento de esgoto: a ETE Camboinhas (em fevereiro) e a ETE Mocanguê (em abril), a primeira estação a operar no Brasil em nível terciário.

No biênio 2000-2001, a concessionária realizou diversas intervenções favorecendo 130 mil habitantes em 14 bairros, na Região Oceânica e de Pendotiba. Dentre elas, a construção de 13km de adutora e 490km de rede de distribuição de água; a implantação de uma elevatória de 2.400 CV de potência, dois reservatórios de três milhões de litros cada e 40 boosters de água. Águas de Niterói instalou, ainda, 40 mil ligações domiciliares.

Águas de Niterói iniciou, em outubro de 2000, um programa de retirada de línguas negras nas praias da Zona Sul. Foram eliminadas línguas negras nas praias de Boa Viagem, Flechas e Icaraí. Tais intervenções resultaram em índices positivos de balneabilidade nas referidas praias, que estavam impróprias há mais de 15 anos.

A concessionária Águas de Niterói assumiu o sistema de distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto do Município em 5 de novembro de 1999. Na época apenas 72% da população era atendida com o abastecimento de água e somente 35% tinha o esgoto coletado.