Niterói é destaque no G1

Das dez praias mais limpas do Grande Rio ao longo de 2018, quatro ficam em Niterói. O G1 tabulou dados das análises do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) para descobrir quais foram mais classificadas como próprias e as mais reprovadas.

Em três, todas as análises deram positivo para banho: Prainha e Recreio, na Zona Oeste, e Camboinhas, em Niterói.

Copacabana se manteve entre as mais limpas em 2018, mas a vizinha do Leme tem estado imprópria desde meados de novembro. O Inea respondeu que foi por causa das chuvas do mês passado.

Ipanema e Leblon tiveram desempenho pior que o Arpoador e o Diabo – a mais limpa da Zona Sul, com 98% das análises positivas.

Como é feito o teste

Na maioria das praias – as mais frequentadas –, o Inea fez cerca de 90 testes, normalmente dois por semana. Em outras, como as das Ilha do Governador, os técnicos colheram amostras a cada 15 dias. Paquetá foi analisada semanalmente.

Nas maiores, o órgão estabelece até quatro pontos para retirar a amostra – caso de Copacabana e Barra. Neste caso, o G1 calculou a média das análises.

Para uma praia ser considerada imprópria, a amostra não pode conter 2.500 NMPs (ou mais) de coliformes resistentes a temperaturas por 100 ml. NPM é a sigla para número mais provável, obtido por tabelas de probabilidade. Também recebe o sinal vermelho a praia que anotou pelo menos 1.000 NMPs em duas das últimas cinco análises.

Nas águas da Baía, níveis de bactérias que indicam a presença de fezes também são medidos. Pesquisadores buscam a E.coli e enterococos nas amostras.

Das oito praias de Paquetá, a da Moreninha foi a que teve melhor desempenho, com 81% – a média da ilha foi de 47%.

A regra geral do Inea é evitar o banho de mar nas primeiras horas após chuvas e próximo a saída de galeria de águas pluviais.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *